google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Vencer sem convencer: Brasil leva a melhor no tie-break contra República Dominicana.


Brasil vibra após exaustiva vitória contra dominicanas nas olimpíadas. Foto: Toru Hanai/Getty Images.

A seleção brasileira de vôlei feminino entrou em quadra na manhã de terça-feira (28) para disputar um jogo eletrizante contra República Dominicana e precisou levar para o quinto set para vencer na Ariake Arena. (Parciais: 22/25, 25/17, 25/13, 23/25 e 15/12).


Set 1: Com um início sonolente e displicente, o Brasil ia muito mal em suas recepções, e com passes totalmente quebrados, tornou seus ataques menos efetivos, o que resultou em 4 bloqueios das dominicanas somente nessa etapa inicial (22/25 República Dominicana).


Set 2: Agora com mais atenção, Macris mostrou a superioridade do elenco verde e amarelo, foi a dona do set distribuindo as bolas de ataque por todas as jogadoras. A República Dominicana não encontrou uma maneira de defender de tantos lados e logo cedeu um empate com o placar de 25 a 17 Brasil.


Set 3: Como se não bastasse as dificuldades defensivas, agora as dominicanas não conseguiam atacar, perderam a rede e tomaram pressão na recepção. Foi uma disparidade no centro de quadra tão grande, que ambas centrais brasileiras: Ana Carolina e Carol Gattaz somaram para 13 pontos (dentre esses, 3 aces). Final de set: 23 a 13 e Brasil com a vitória certa...ou não.


Set 4: Talvez o último set expressivo e as adversárias sem respostas, fizeram o Brasil acreditar em um jogo liquidado, e novamente, voltou a ter os mesmos problemas da primeira etapa.


As mudanças do técnico brasileiro José Roberto Guimarães, colocando Roberta Ratze e Rosamaria Montibeller em quadra, piorou o desempenho do Brasil. Toda a versatilidade brasileira no ataque foi perdida, agora a seleção era puramente dependente de Fernanda Garay, a única a não tomar os bloqueios adversários.


Infelizmente para a atacante, nem seus 11 pontos no set evitaram o 25 a 23 da República Dominicana.


Set 5: Depois do último set digno de um trófeu "Melhor jogadora das Olimpíadas", Fe Garay sofria para passar dos bloqueios dobrados (ela apenas aproveito 20% das bolas levantadas).


Dessa forma, desenhou-se no tie-break um delo entre Brayelin Martinez (DO) e Gabi Guimarães (BR). Nessa disputa, deu melhor para a brasileira, que por pouco finalizou o desempate em 15 a 12, e evitou a derrota desastroza.


A próxima partida de seleção é contra a forte seleção do Japão, quinta-feira (30) às 7:00h horário de Brasília.

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page