google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Resiliência máxima: Em grande partida defensiva, Brasil vence França por 3 a 2.



Lucão liderou partida defensiva histórica do Brasil contra a França em Tóquio. Foto: Volleyball World.

No último jogo da fase de grupos do vôlei de quadra masculino, a seleção brasileira faz uma partida histórica contra a França e, graças a atuação defensiva fora da curva, vence o desafio por 3 a 2 (25/22, 37/39, 25/17, 21/25 e 20/18).


Set 1: O técnico do Brasil Renan Dal Zotto pareceu entender muito o estilo de jogo francês no primeiro set. A França havia vencido os (até então invictos e líderes) russos em uma partida surpreendente, em que abusaram da velocidade e criatividade de seus ponteiros para cravar pontos seguidos.


Sabendo disso, o jogo francês acabou um pouco menos efetivo e deu espaço para Lucas SaatKamp (Lucão) ficar livre para se mover de uma ponta a outra da rede. Lucão, o que futuramente seria o homem do jogo, apenas estava começando a dar forma para uma defesa brasileira super consistente, com 2 bloqueios, o central do Brasil encurtava espaço para a estrela francesa Earvin Ngapeth. Com o trio Wallace,Leal e Lucarelli muito efetivos, a seleção verde e amarela fechou o primeiro set na vantagem: 25 a 22.


Set 2: Repetindo o jogo dessas mesmas duas seleções na Liga das Nações, o set que levou 51 minutos para ser finalizado. Mesmo com tantas estrelas na parte do ataque, o período se destacou por uma batalha eletrizante lá no fundo da quadra, entre o líbero brasileiro Thales Hoss e o francês Jenia Grebennikov, ambos fizeram atuações históricas, e grande parte desse set ter ido tão longe foi de responsabilidade desses dois defensores que não deixavam a bola cair.


Em um set tão defensivo, tão amarrado e exaustivo, as bolas de segurança da França fizeram a diferença. Os europeus praticamente só atacaram com dois jogares: Jean Patry e Ngapeth (10 pontos para ambos, 20 juntos). Juntando todos os outros atletas franceses, somamos 8 pontos, ou seja, foi um período vencido na base da insistência e força bruta que culminou no empate. Final de set: 39 a 37 França.


Set 3: Apesar da vitória, a equipe francesa sofreu com o desgaste de seus atacantes, pela primeira vez no jogo, precisou substituir Ngapeth (maior pontuador do jogo) por conta de cansaço. Visivelmente exausto, o time da França estava em outro ritmo nesse set, o Brasil, que usava de forma diversificada seus atacante e reservas, tinha muito mais fôlego e energia para dominar o período.


Quem se aproveitou dessa resseca do lado francês da quadra foi novamente ele, Lucão, com mais 4 bloqueios, e um total de 6 ponto. O central do Brasil acabou com quaisquer esperança dos reservas franceses construírem o placar, levando a seleção brasileira para mais uma vitória.


Set 4: O craque quando descansado é um monstro, Ngapeth, de novo ele, liderou a França em um set que começou muito bom para os brasileiros. Assistindo o jogo do banco no terceiro set, o oposto francês agora sabia exatamente como a defesa de rede do Brasil se comportava. Conseguiu não somente marcar mais 9 pontos, como também anulou Leal completamente com direito a 2 pontos de bloqueio.


Lucão não conseguiu manter a atuação defensiva nesse set, e até perdeu o duelo de rede para o central europeu Chinenyeze. Quem não decepcionou na defesa brasileira, foi Thales, novamente o líbero fez uma atuação defensiva milagrosa, e mais uma vez, não consegue ser o suficiente para levar o set. Final: 25 a 21 França.


Set 5: O set de desempate foi apertado do inicio ao fim, Bruninho repetiu a boa atuação dos set's anteriores e conseguiu distribuir os ataques por todos os lados da quadra. Já a França, apostou na mesma estratégia de forçar cada vez mais Petry e Ngapeth.


As duas táticas deram certo, não atoa o set se manteve equilibrado, a diferença veio em técnica, em elenco. Depois de mais de 2 horas em partidas, a defesa da França era inexístente, praticamente todas as bolas cortadas pelo Brasil encontravam o chão da quadra. Desse modo, o time europeu não conseguiu a virada, e perdeu por 20 a 18.


Agora a equipe de Renan enfrenta a seleção do Japão nas oitavas de final do torneio. A partida ocorrerá na madrugada de domingo (1) para segunda-feira (2) a 1:00h horário de Brasília.



7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page