google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Os Ravens terão o jogo mais importante de sua temporada na semana 7, entenda o motivo:

O Baltimore Ravens venceu quatro partidas e perdeu duas nesta temporada, atualmente liderando a AFC North. Nesta semana 7, a equipe enfrentará o Detroit Lions, sendo este o maior desafio da equipe na temporada. Entenda o que faz esta partida ser crucial para o Baltimore Ravens.


Lamar Jackson Baltimore Ravens
Imagem: Reprodução/PressBox

Força defensiva dos Ravens

A defesa dos Ravens possui números impressionantes. É a segunda que menos permite jardas totais por partida, estão empatados em mais sacks na temporada (24) e possuem 7 touchdowns permitidos em 6 jogos. Estes são números que mostram um desempenho defensivo bastante acima da média.


Mesmo com a secundária desfalcada em alguns jogos, devido às lesões de Marlon Humphrey e Marcus Williams, a equipe vem tendo um bom desempenho contra o jogo aéreo, permitindo em média somente 163 jardas passadas por partida. Geno Stone (safety escolhido na sétima rodada de 2019), por exemplo, é um jogador que entrou muito bem neste ano, registrando três interceptações. Outro exemplo é o cornerback Brandon Stephens, um dos jogadores com mais passes defendidos na temporada (5).


O linebacker Patrick Queen, é um jogador que vem fazendo excelentes partidas, registrando 3,5 sacks, 5 QB hits e 5 tackles para perda de jardas. Jogando em parceria com Roquan Smith, os linebackers somam juntos 116 tackles, uma dupla bastante eficaz na defesa dos Ravens. Voltando a falar de pass rush, Jadeveon Clowney vem sendo uma grata surpresa, com um total de 3.5 sacks. Em 6 semanas, ele já superou os números de 3 das suas últimas 4 temporadas. Em Baltimore, jogando sua décima temporada na liga, Clowney está mostrando que ainda possui mais um pouco de combustível em seu tanque.


Patrick Queen Batimore Ravens
Imagem: Reprodução/Yahoo Sports

Por que o desafio contra Detroit?

A frase: “A estatística é a arte de torturar os números até que eles confessem” cabe perfeitamente nesta situação. Os números aqui apresentados mostram uma dominância defensiva dos Ravens muito grande, contudo, o contexto deve ser levado em consideração. Ao longo destas 6 semanas, Baltimore enfrentou dois quarterbacks reservas (Gardner Minshew e P.J Walker), um calouro (C.J. Stroud) e 3 dos 5 piores piores ataques da liga (Bengals, Steelers e Titans). São fatores que contribuem bastante para o impulsionamento das estatísticas defensivas.


Contra o Detroit Lions, descobriremos quem realmente é a defesa dos Ravens. Os Lions possuem um dos melhores ataques da NFL, possivelmente o melhor da NFC. O terceiro com mais jardas por partida, o sexto que menos erra passes por jogo, a quinta maior porcentagem de passes completos da temporada, o terceiro com mais touchdowns corridos por jogo (1.5) e somou 410 jardas corridas nas últimas três partidas (quarto maior). Desculpe descarregar tantas estatísticas, porém, devido a um histórico não muito vitorioso, as pessoas tendem a desacreditar dos Lions. Com estes números, a conversa fica mais clara.


Detroit Lions Jared Goff
Imagem: Reprodução/The Oakland Press

O outro lado da bola

Invertendo o jogo e analisando o ataque dos Ravens, precisamos falar da produção na redzone. É um ponto que chamou bastante atenção nas últimas semanas por conta da queda considerável de desempenho. Nos primeiros 4 jogos a porcentagem de touchdowns era de 80%, nos últimos dois, caiu para 22%. Isso significa que da semana 1 até a semana 4, os Ravens marcaram 12 touchdowns em situação de redzone; enquanto nas semanas 5 e 6, foram apenas 2 TDs anotados nesta condição. O uso exagerado do jogo terrestre (já minado pela ausência de J.K Dobbins) nas últimas 20 jardas do campo, é uma preocupação, pois a defesa de Detroit tem como especialidade a contenção do jogo corrido. É a defesa que menos permite jardas terrestres por jogo e só cedeu 3 touchdowns corridos em toda a temporada.


Para vencer esse matchup bastante desfavorável, o coordenador ofensivo Todd Monken, deverá ajustar o ataque para buscar mais passes do que corridas. Mark Andrews é um dos melhores tight ends da liga, uma arma perigosíssima na redzone; Zay Flowers também é uma boa opção por ser um jogador veloz nas rotas. Baltimore precisa explorar estas peças. Buscar big plays de passe para pegar a defesa de Detroit, atenta ao jogo corrido, de calças curtas.


Este jogo será matador para sabermos com que tipo de Baltimore Ravens estamos lidando. Nele será colocado à prova todo o elenco da equipe. É uma partida determinante para o decorrer da temporada dos Ravens.


25 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page