google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

PORTUGUESA BATE BRAGANTINO NO CANINDÉ E VOLTA A VENCER NA SÉRIE A1 DEPOIS DE SETE TEMPORADAS

A última vitória da Lusa na elite do futebol paulista foi, coincidentemente, contra o Massa Bruta, em fevereiro de 2015.


Jogadores da Portuguesa comemoram o gol do zagueiro Bruno Leonardo
Jogadores da Portuguesa comemoram o gol do zagueiro Bruno Leonardo. Foto: Divulgação/Portuguesa.

Em duelo válido pela terceira rodada do Campeonato Paulista, Portuguesa e Bragantino se enfrentaram neste sábado (21), no Canindé e os donos da casa levaram a melhor. A Lusa venceu o Massa Bruta por 3 a 0, com dois gols do zagueiro Bruno Leonardo e um do atacante Paraizo, e voltou a vencer na série A1 após sete temporadas.


O último triunfo Rubro-verde na elite do Paulistão havia sido, coincidentemente, contra o Bragantino, no dia 28 de fevereiro de 2015. Na partida, a Portuguesa venceu por 2 a 1, com gols Guilherme Almeida e Filipi Souza, Erick Luis descontou para o Braga.


Quando o assunto é jogar dentro de casa, a última vitória da equipe na série A1 atuando no Canindé, tinha acontecido no dia 23 de março de 2014. Na ocasião, a Lusa venceu o Rio Claro por 4 a 3, com dois gols de Rondinelly, um de Gabriel Xavier e um de Leandro Pereira. Já para os adversários, Wendell, Thiago e Caio Vinícius descontaram.



SOBRE O JOGO


Antes da bola rolar, o clima era de tensão do lado de fora do estádio, devido à notícia da venda do mando de campo do jogo entre Portuguesa e Corinthians, no dia 12 de fevereiro. A partida, que seria inicialmente disputada no Canindé, foi transferida para o estádio Mané Garrincha, em Brasília, o que causou muita indignação aos torcedores.


Quando o árbitro apitou, os donos da casa abriram o placar logo no primeiro minuto de jogo, com falha absurda do goleiro Cleiton e em mérito do zagueiro Bruno Leonardo, camisa 04 da Portuguesa, que aproveitou para cabecear uma bola que parecia perdida. O gol no começo desestabilizou o Bragantino, que precisou sair mais para o contra-ataque tentando empatar a partida.

Nossa reportagem questionou o treinador Pedro Caixinha, do Bragantino, na coletiva após o final do jogo, se o fato de levar o gol logo nos primeiros minutos acabou atrapalhando a equipe:

“Temos que ser capazes de dar uma resposta mais forte e mais assertiva em relação a esse tipo de situação”.

 


APÓS O GOL


O Bragantino precisava empatar e a Lusa continuava esperando os adversários em seu campo de defesa para tentar sair em velocidade, sempre buscando o atacante Paraizo lá na parte da frente. O Massa Bruta pressionava e a Portuguesa se defendia bravamente.


Ainda no primeiro tempo, aos 17 minutos, o volante Madison acabou precisando deixar o jogo por conta de uma lesão e deu lugar a Marzagão, que entrou aplaudidíssimo pela torcida e melhorou não só a intensidade de jogo, assim como a marcação da equipe no meio de campo. O volante da Lusa ganhou quase todas as bolas disputadas: dos duelos no chão, Marza ganhou 4 de 6, já nos aéreos, 100% de aproveitamento: um de um, além de ter feito quatro desarmes e duas interceptações, segundo dados do portal SofaScore.


O Bragantino saiu para o jogo e não levou perigo ao goleiro Thomazella até o 35º minuto do primeiro tempo, quando Juninho Capixaba infiltrou na área lusitana e tentou empatar o placar, em uma bela finalização de letra, mas que acabou saindo pela linha de fundo.


O desafogo da Portuguesa continuava sendo o atacante Paraizo, que fazia sua estreia no Paulistão como titular. Aos 41 minutos, o atacante, artilheiro do último CampeonatoPaulista Sub-20 com 22 gols em 25 jogos, levou a Lusa literalmente para o paraíso, marcando o segundo gol lusitano no jogo.


No final da primeira etapa, a equipe de Bragança cresceu na partida, pressionando os donos da casa em seu campo de defesa para tentar descontar o marcador, mas não conseguiu assustar o goleiro Thomazella.



Paraizo comemora primeiro gol no profissional pela Portuguesa
Paraizo comemora primeiro gol no profissional pela Portuguesa. Foto: Divulgação/Portuguesa.

 

SEGUNDO TEMPO


A segunda etapa começa parecida com a primeira: o Bragantino sentiu o gol novamente e nem mesmo as orientações de Pedro Caixinha no intervalo foram o suficiente para acalmar a equipe. A Lusa volta melhor e com o placar de 2 a 0 a favor, somado ao apoio da torcida, o Canindé virava um caldeirão e a torcida e os jogadores entravam em uma mesma sintonia.


Aos poucos o Massa Bruta tentava equilibrar a partida e a Portuguesa voltava a utilizar a mesma estratégia que tem sido marca desta equipe de Mazola Jr. em apenas três jogos no comando da equipe: esperar o adversário em seu campo de defesa para sair em velocidade.


Quando o Braga começou a pressionar os adversários e parecia esboçar algum tipo de reação, aos 21 minutos do segundo tempo, o zagueiro Natan fez falta no atacante Paraizo e foi expulso de campo. Com a serenidade de quem vencia a partida e a calma para conduzir as ações ofensivas, a Portuguesa logo encontrou o terceiro gol, mais uma vez com o zagueiro Bruno Leonardo, que fez o segundo dele na partida e se tornou o artilheiro da Lusa no campeonato.


Se na frente tudo ia bem, no setor defensivo também: Marzagão continuava um leão. Marza era o leão que a fabulosa torcida lusitana precisava. O jogador era o motorzinho do meio de campo rubro-verde e ganhava todas as bolas que disputava, seja no alto ou no chão.


A Lusa ainda criou mais chances para tentar ampliar o placar, mas não conseguiu e o jogo terminou 3 a 0, em uma tarde histórica no Canindé para um público de 2.388 pessoas. Uma vitória com V maiúsculo para resgatar a confiança do grupo e da torcida rubro-verde.


Ao final do jogo, nossa reportagem perguntou ao técnico Mazola Jr. o porquê da escolha do Paraizo no lugar do Richard:


"A gente veio trabalhando com ele, fazendo uns trabalhos específicos com ele, motivando e ele foi vendo os problemas que vinha sentindo e foi conversando com a gente. Está sendo feito um trabalho muito importante com o menino, principalmente para não deixar influenciar à cabeça dele essa pressão da torcida, de imprensa e de empresário. No momento certo, na hora certa, nós achamos que era hora de botar o moleque para jogar".

Jogadores comemorando vitória da Lusa após o apito final
Jogadores comemorando vitória da Lusa após o apito final. Foto: Divulgação/Portuguesa.

O elenco Rubro-verde se reapresenta nesta segunda-feira, às 08h00, no CT, treina na terça-feira no período da manhã (08h00), na quarta-feira no período da tarde (15h00) e encerra sua preparação para o jogo de quinta-feira, fora de casa.


O próximo compromisso da Portuguesa é na próxima quinta-feira, dia 26, às 21h30, no Morumbi, contra o São Paulo, em duelo válido pela quarta rodada do Campeonato Paulista.

Comments


bottom of page