google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

OPINIÃO: Quando não é conveniente, não fala muito!

Foto: Divulgação Instagram/Flamengo

Tite é o melhor treinador do futebol brasileiro com uma boa folga em relação aos outros, exceto Abel Ferreira, e isso já está sendo visto em campo no seu trabalho à frente do Flamengo, desde o final de 2023, em que ele cumpre a meta de se classificar para a Libertadores e chega a sonhar com o título brasileiro, que parecia impossível, em um dos piores anos da história do clube.


E, ainda mais, em 2024, com um time que, praticamente, não sofre gols, lidera o Campeonato Carioca e, aos poucos, vai se soltando mais e se organizando melhor ofensivamente. Porém, mais do que o desempenho do time, algo que tem crescido neste novo ano são os posicionamentos(ou a falta deles) polêmicos e/ou confusos.


A primeira vez que isso aconteceu após a goleada sobre o Audax na estreia do time pelo estadual, quando ele solta um negacionismo do futebol, dizendo que o Cariocão é o campeonato estadual mais forte do país(todos sabemos que é o Paulista). Algum tempo depois, ele foi questionado mais de uma vez em relação a isso e explicou que se referia apenas ao momento dos quatro grandes, o que faz eu concordar com ele, mas, por ter se expressado tão mal na primeira declaração, se falava muito mais disso que do bom trabalho técnico dele.


E o pior de tudo veio após a vitória no Fla-Flu do último domingo(25), pois se trata se um assunto muito mais grave: a pergunta sobre Daniel Alves, jogador convocado por ele para duas Copas do Mundo, que foi condenado a quatro anos e meio de prisão por agressão sexual em uma boate espanhola. Nessa situação, Tite, que viralizou o bordão "Fala muito!" em discussão com Felipão em uma partida há mais de dez anos atrás, se enrolou todo e acabou não falando nada, pelo menos, de forma direta.


E não é a primeira vez que o ex-técnico da Seleção Brasileira se esquiva desse tipo de assunto. Não se engane pensando que quando ele disse que não iria encontrar o ex-Presidente da República, Jair Bolsonaro, em caso de título mundial era um posicionamento contra o governo dele. Era apenas mais uma forma de ficar isento em uma pauta polêmica.



*As opiniões aqui emitidas são de total responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem a opinião do Dimensão Esportiva.

Comments


bottom of page