google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

OPINIÃO: O que esperar para o primeiro Derby do ano? Mais brigas ou resenha no campo de jogo?


ESPN.COM.BR/GETTY

Pela 9ª rodada do Paulistão, Corinthians e Palmeiras se encontram na próxima quinta-feira (16), às 21h30, na Neo Quimica Arena no primeiro Derby da temporada de 2023. E recentemente registraram-se novos confrontos entre torcedores de ambas as equipes no Bairro do Ipiranga, em São Paulo. Com isso, fica a mesma interrogação de sempre sobre a mente de cada um de nós, as brigas entre os opostos vão se cessar de alguma maneira?


Seja no carnaval ou no futebol, vem de anos este antagonismo entre Mancha Verde e Gaviões da Fiel fora dos gramados, e a menos de uma semana para um novo capítulo do clássico ser escrito em campo por jogadores alvinegros e alviverdes, um novo conflito entre as torcidas resultou em 5 feridos segundo informações da Polícia Civil de São Paulo, tendo um torcedor palmeirense sido atingido por um tiro no rosto. Desde a década de 1990 até aqui, inúmeras vítimas fatais se registraram em diversas brigas ao longo da imensa história de rivalidade que palmeirenses e corintianos construíram quer entre si, quer em confrontos com uniformizadas de outros rivais como Santos e São Paulo.


Foram atos como esses que culminaram num decreto do Governo do Estado de São Paulo em 2016, após uma morte em São Miguel Paulista, zona leste da capital, em outra briga entre torcedores do Verdão e do Timão horas antes do Derby ser disputado na mesma Neo Quimica Arena que recebe o jogo de amanhã, anunciando a presença de torcida única em clássicos envolvendo os 4 grandes do Estado. Decreto o qual foi protocolado pelo MPSP - Ministério Público do Estado de São Paulo, rapidamente acatado pela Federação Paulista de Futebol - FPF e anunciado por MP e Secretaria de Segurança Pública na mesma noite do incidente que vitimou um cidadão o qual nem envolvido com uma das torcidas era. Há quase 7 anos da prescrição em vigor, que serão completados em abril, a lei obriga torcedores rivais a ficarem fora do estádio da equipe mandante, com o intuito de garantir ordem e evitar tumultos os quais podem terminar em crimes violentos, porém, apesar de teoricamente impedir o acesso dos oponentes à Vila Belmiro, Morumbi, Allianz Parque e Neo Quimica Arena, brigas continuam sendo marcadas entre as uniformizadas em locais diferentes e contabilizando novas vítimas a cada duelo sangrento.


Como disse anteriormente, quinta-feira se aproxima, e um novo capítulo do Derby será escrito dentro de campo. O Corinthians recebe o Palmeiras diante de seus torcedores em Itaquera, buscando sua segunda vitória em clássicos no ano e recuperar-se após perder para o São Bernardo, e empatar com a Portuguesa, em duas partidas disputadas fora de casa, onde a equipe de Fernando Lázaro se mantém de forma inconstante. Para o Verdão, ganhar do rival fora de casa, dará à equipe de Abel Ferreira não apenas a segunda vitória no terceiro clássico do ano, como também consolidará a melhor campanha do campeonato para o atual campeão paulista. Com toda certeza, aguardem nervos à flor da pele dentro do campo entre os jogadores e na área técnica, sobretudo quando se tem um treinador como Abel Ferreira envolvido com o jogo.


No mais, resta saber se antes, durante ou logo depois deste jogo a se realizar, haverá novos conflitos entre as uniformizadas. Infelizmente, há de se reconhecer a possibilidade de acontecer algo negativo, mas que desta vez as batalhas campais possam ser ofuscadas pela resenha e pela convivência pacífica entre os opostos. Corinthians e Palmeiras possuem páginas tão bonitas ao longo de suas histórias, e suas torcidas além de demonstrarem amor imenso às instituições, fazem do futebol o grande espetáculo que ele é, sejam nas arquibancadas do Estado de São Paulo e do Brasil ou até do outro lado do mundo em competições internacionais. É possível e sobretudo, necessário, fazer do futebol um espetáculo sem violência entre rivais, e pacífico para que cada vez mais pessoas se apaixonem pela arte que ele transmite para seus espectadores a cada nova geração.


*As opiniões aqui emitidas são de total responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem a opinião do Dimensão Esportiva.


18 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page