google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

OPINIÃO: Defesas te ajudam a passar do Wild Card!



Houston Texans e Cleveland Browns era um dos confrontos mais aguardados do Wild Card. Duas equipes sensações na temporada, mas por motivos destintos, se enfrentariam buscando uma vaga na próxima fase.


Os Browns de 4 QBs na temporada, de ter perdido sua principal peça de ataque e de ter achado em Joe Flacco alguém capaz de rodar o ataque. Chegava ao NRG Stadium com campanha 4-1 sob batuta do camisa 15 e com fortes esperanças em Amari Cooper na profundidade.


Do outro lado, a equipe sensação da temporada. Um combinado de técnico + QB Novato que deu muito certo logo de cara e derrubou o favorito de sua divisão. Com uma defesa que trabalha muito bem, a ideia seria derrubar Flacco e no ataque rodar pacotes que explorassem a marcação em zona de Cleveland.


O primeiro drive para ambas as equipes foi de muita pressão no QB e de passes laterais e/ou incompletos, contudo, as defesas não iriam aguentar um ritmo tão pesado e logo foram "desligando" a pressão. Com isso, 5 drives seguidos resultaram em pontuação e jogo aparentava virar um tiroteio.


Aparentava, pois rapidamente Demeco Ryans percebeu o que tinha de fazer. Ele reduziu o espaço entre sua DL e sua secundaria e marcou duplamente Cooper e Njoku, dificultando que as rotas longas fossem completas e forçando o ataque dos Browns a jogarem de uma maneira lenta e curta.


Foi dessa forma que conseguiram garantir que os Browns queimassem 5 minutos em dois drives improdutivos e que no retomo da posse, os Texans colocassem 10 pontos de vantagem coroando um excelente primeiro tempo da franquia.


No segundo, a pressa para diminuir a vantagem aliada a inteligente marcação dos Texans forçou Flacco a arriscar um pouco mais os passes médios/longos em uma dessas, acabou lançando uma pick six. No drive seguinte, jogou outra pick six, dessa vez de maneira curta e em uma boa cobertura pelo meio do campo, que moralmente sacramentava a eliminação dos Browns.


Contudo, Stefanski se recusou a empacotar sua viola e manteve Flacco titular até o fim. No terceiro quarto, Os Browns tiveram mais de 10 minutos com a bola e não conseguiram produzir absolutamente nada e terminando sua ultima campanha com um turnover on down. Com metade do tempo dos Browns, os Texans rapidamente marcaram um touchdown e ali teria sacramentado a sua vitória. Ao fim do jogo, poucos titulares nos Browns, nenhum nos Texans, e uma vitória maiúscula de uma jovem equipe.


Por mais que C.J Stroud tenha feito uma senhora partida, meu destaque maior vai para o corpo defensivo de Houston. A forma como eles reduziram o campo de jogo, anularam os melhores recebedores e ainda fizeram os Browns queimarem muito relógio foi impressionante.


Mas falando sobre ataques, ai é que está a diferença entre os times: Os quarterbacks. Enquanto Flacco se mostrava limitado até por questões de idade, Stroud mostrou repertório e independente de OL, conseguia segurar a bola tempo o suficiente para que seus recebedores cumprissem suas rotas.


Schultz e Collins tem méritos gigantescos no jogo de hoje e o ataque pautado em iscas para confundir a marcação se mostra algo inteligente. Muitos motions para deixar o recebedor livre, muitas rotas que tiravam os WRs da lateral e os fazia cruzar o campo para receber passe nas costas do safety e o meu favorito: colocar todo mundo na endzone para deixar campo aberto para o Collins conectar curto e marcar o TD.


Foram essas jogadas que faltaram ao Browns, mais porque o seu comandante não teria condições de executa-las do que outra coisa, deixando o ataque monótono e altamente previsível. A defesa também se saiu mal. Pouco ouvimos o nome de Za'Darius Smith ou Myles Garrett, todas as boas jogadas para perda de jardas saíram da boa capacidade de infiltração de Owusu-Koramoah, o grande nome dos Browns na partida.


O melhor setor dos Browns não entrou em campo. Esse talvez seja o fiel da balança entre os motivos da derrota, já que a defesa saiu da temporada regular como uma defesa top 5 e na sua única exibição na pós temporada foi completamente apagada por um excelente ataque. Todo mérito aos Texans que demostra que apostou de maneira correta nas suas escolhas, tanto em atletas como em treinador e que tem um futuro promissor pela frente.


O jogo de hoje para mim passa a clara impressão de que os Browns estavam esperando um Texans mais tímido e mais sucessível a sacks, enquanto os donos da festa estudaram bastante e conseguiram anular os dois melhores recebedores e os dois melhores pass rushers do time, além de é claro, tirar Emerson Jr do jogo em quase todos os snaps.


Os Browns foram heroicos e merecem palmas, porém, foram eliminados para um time que naquele momento tinha mais condições de mudar uma partida. Com retorno de Chubb, Stefanski terá mais peças enquanto Ryans precisará bolar um plano para vencer ou Bills ou Chiefs na semana que vem.



*As opiniões aqui emitidas são de total responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem a opinião do Dimensão Esportiva.

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page