google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

OPINIÃO: Ainda falta algo para Brandon Ingram

Ingram tem médias de 21.4 pontos, 5.8 assistências, 5.0 rebotes e 2.7 de plus/minus. O jogador deveria ser a super estrela do New Orleans Pelicans, mas não é isso o que tem acontecido.



FOTO: Getty Images


Brandon Ingram assinou em 2020 uma renovação de contrato máximo com os Pelicans no valor de $158,253,000 divididos por cinco anos. Já na segunda metade deste contrato Brandon teve lapsos do jogador que poderia ser, mas algo ainda parece estar faltando para o camisa 14. Em números frios a temporada dele está pior que a passada em praticamente todos os quesitos. Em 2022-2023 ele acumulou as seguintes estatísticas por jogo: 24.7 pontos , 5.8 assistências, 5.5 rebotes e 2.1 de plus/minus.


Ingram durante toda sua carreira na NBA foi comparado ao Kevin Durant pelo seu estilo de jogo parecido. Ambos são esguios para a posição e procuram muito os arremessos de meia distância, que hoje não são mais tão utilizados, já que a liga virou quase que uma disputa de arremessos de três pontos. A diferença, infelizmente, é que aparentemente “BI” (como é chamado pelos torcedores) não se sente muito confortável nesses arremessos, chutando apenas 3.9 bolas de três por jogo, o que faz ele enfrentar uma maior quantidade de chutes contestados de meia distância com maior frequência.


Nos dois primeiros anos em New Orleans, Brandon Ingram parecia estar disposto a evoluir seu jogo atrás da linha de três pontos, arremessando, respectivamente, 6.2 e 6.1 bolas por jogo com um aproveitamento de 39.1% e 38.1% nestes arremessos. Nesta temporada, além das tentativas por jogo terem caído bastante, o aproveitamento também caiu para 36,2%. 


O plus/minus, que é uma métrica, onde se avalia a diferença entre os pontos que o time cedeu e fez com o jogador em quadra ajuda a verificar a eficiencia do mesmo e nesta temporada Ingram é apenas o 87º da liga, um jogador que é tratado e considerado como a super estrela de um time que tem as pretensões de chegar longe no playoffs não deveria ter um plus/minus baixo. Claro que algumas outras estrelas também estão com esse número lá embaixo como por exemplo, Lebron James com 1.4 de plus/minus, mas quando o jogo aperta e o Lakers precisa dele, ele decide. Este é outro “problema”, Ingram não costuma ser um player clutch e explica o quão ruim o Pelicans é em jogos que chegam apertados nos minutos finais da partida.


Um outro dado que mostra como Brandon está um pouco fora de sincronia com seus companheiros de equipe é o rating defensivo. As lineups com “BI” + Zion é de -22 , já as lineups com Zion e sem o Ingram é de +22.


Para alguém que é considerado e pago como principal estrela de um time, Ingram não vem performando como tal e isso tem dificultado os jogos em que o jogo de mid range não funciona. Como o principal ball handler da equipe e como jogador foco do ataque isso acaba machucando mais o time do que tem ajudado. Claro que quando tudo começa a dar certo ele acaba tendo jogos explosivos e de pontuações altíssimas, mas isso tem acontecido cada vez com menos frequência.


Sou o Guilherme Silveira e este texto reflete apenas a minha opinião e é de total responsabilidade minha. Siga o Dimensão MVP para notícias de NBA, NFL, MLB e muito mais: @DimensaoMVP no X e @dimensao.mvp no Instagram.


71 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page