google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

OPINIÃO: ABC X Fortaleza - A Soberba precede a queda



Foto: Leonardo Moreira/ Fortaleza EC.


JOÃO BOSCO NETO

de Fortaleza


Válido pela 2ª rodada da Copa do Nordeste, o clássico regional Fortaleza x ABC foi tratado como o jogo do ano pelos alvinegros, e como um amistoso pelos tricolores. O time que levou o confronto a sério saiu vencedor, com uma partida de almanaque, enquanto a outra equipe teve uma atuação condizente com o ego de alguns torcedores.


Subestimando o seu adversário, Juan Pablo Vojvoda escalou seu time num 4-4-2 sem pontas velozes, sem meias de criação, com 2 postes presos a área, 2 volantes pesados, 2 laterais que não são bons na fase defensiva, e um zagueiro incrivelmente lento. Acreditando que a imposição técnica seria o suficiente, o treinador Argentino não estudou seu adversário e levou um verdadeiro no tático de Fernando Marchiori. Logo com 3 minutos, toda a soberba do Fortaleza vai por água abaixo. Após falha de Lucas Esteves, e um erro grotesco de marcação do zagueiro Titi, Felipe Garcia abria o placar, e já escancarava os erros do treinador do Fortaleza, que escalou 2 laterais ultra ofensivos para enfrentar pontas extremamente velozes, um erro bobo, facilmente evitável, e que no fim das contas custou muito caro.


Após o gol cedo, o ABC não se fechou, e buscou ampliar a vantagem, não deixando o Fortaleza tocar na bola. O time não tinha saída de bola, um meio lento e pouco criativo, 2 atacantes que pouco influíram, e um Yago Pikachu que aparentemente ainda está no Japão, o Fortaleza não conseguia minimamente demonstrar perigo ao ABC, que estacionou o “elefante” atrás da linha da bola, e não deixava o Fortaleza trabalhar a bola, e nem infiltrar, utilizando-se de uma incrivelmente bem montada linha de 6 jogadores na defesa. Tendo oportunidade de abrir 2 ou 3 a 0 no final do 1º tempo, o ABC deixou de ampliar sua vantagem, mesmo tendo chances reais, mas isso não mudava o fato de que eles haviam engolido o atual campeão, que estava atordoado e mal tinha entrado em campo.


No 2º tempo, ele faz algumas boas alterações, retirando Esteves e Romero do campo, mas também substituindo Dudu, o que forçou o time a voltar ao 3-5-2, um esquema fadado ao fracasso e que quase o rebaixou ano passado. Tudo isso somado ao fato de manter nomes como Zé Welison e Titi em campo, demonstravam que o cenário não iria ser animador. Buscando se preservar fisicamente, o ABC deu a posse de bola para o Fortaleza e se manteve na sua linha de 6. O tricolor, mesmo com muita vantagem em posse, era ineficiente em preencher espaços, errava muitos passes, e não levava perigo ao goleiro Simão, mas pelo menos conseguia se manter com a bola, sem dar chances de o time Potiguar ampliar sua vantagem.


Lá pelos 15 da 2ª etapa, o ABC volta a gostar do jogo, e vai aumentando seu volume de jogo, até que numa falta desviada abre o 2x0 e ali decretava o fim da partida, isso com 20 minutos por jogar ainda. O Fortaleza que já era ineficiente com apenas 1 gol de desvantagem, agora teria que buscar 3 gols para vencer, com apenas 20 minutos para serem jogados, uma missão praticamente impossível para aquele time sem alma alguma em campo. Nem mesmo a entrada dos titulares foi capaz de mudar o panorama do jogo, e mesmo finalmente conseguindo finalizar ao gol, mesmo que aos 40 do 2º tempo, o Fortaleza foi inoperante contra o ABC.


Um 2 a 0 extremamente merecido para os anfitriões, pois os mesmos entenderam a importância do confronto e jogaram como um time profissional. Para o Fortaleza, resta apenas aguentar a zoação, e entender que não são imbatíveis, como uma boa parte da torcida e atleta pensam que são. O Fortaleza chega ao Clássico-Rei da terça-feira (07) com desconfiança, e se quiser vencer, terá de entrar em campo com bastante humildade. Já o embalado ABC, recebe o Força e Luz pelo Potiguar, e vem com tudo para fazer mais uma enorme partida.



*As opiniões aqui emitidas são de total responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem a opinião do Dimensão Esportiva.


22 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page