google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Opinião: A facilidade de criar embates


Reprodução: @TV Palmeiras/FAM


Recentemente vi um tweet falando que o problema da mídia é não entender o torcedor. Discordo completamente da afirmação, pois a mídia entende os torcedores, mas nem sempre pode ou deve ficar do lado deles. A afirmação mais correta seria de que o torcedor não entende a mídia, mas, isso é totalmente compreensível.


Torcedor sempre foi e sempre será algo passional e emocionado, logo, todos que forem contra os métodos e/ou atitudes do seu time estarão errados para eles. Farei juízo de valores? Não, até porque cada um procede do jeito que acha melhor, mas, é um pouco incômodo achar que fazer uma autocrítica do próprio time é ser "menos torcedor."


João Martins nada mais que fez do que o protocolo de derrota do Palmeiras: Reclamar de fatores extracampo, tentativas de humilhar o futebol brasileiro, falar que só o Palmeiras sofre coisas que todos os times estão fadados a sofrer e/ou já sofreram, criar embates desnecessários entre torcida x federação e torcida x imprensa e se fazer de coitados.


Atitude que também não irei julgar, pois é muito mais fácil jogar na defensiva e acusar erros do que simplesmente falar que seu time não foi competente para segurar uma vantagem de 2x0 no placar.


É meio hipócrita falar mal do futebol que seu time domina há 4 temporadas apenas quando você perde, mas, não deixa de ser mentira que o Palmeiras é prejudicado, mas esquecem do fato de que todas as equipes do Campeonato Brasileiro, séries A, B, C ou D estão suscetíveis a erros grotescos, por um simples fato, a arbitragem brasileira é muito ruim.


Crescemos ouvindo mantras de que "juiz é ladrão", "juiz é caseiro", "juiz é time x ou y", mas a grande verdade é que os juízes brasileiros, são péssimos. A maioria não tem pulso, afina para jogador, e em lances polêmicos apita em favor do time da casa, ou em alguns casos a favor do time mais tradicional em campo.


Da mesma forma que o Palmeiras foi "garfado" na Ligga Arena, o Palmeiras já foi beneficiado diversas vezes, e não se irritem, porque essa é a grande verdade. Não só o Palmeiras, mas Flamengo, Botafogo, Atlético Mineiro, dentre outros times grandes.


Toda decisão da arbitragem tende a um lado, geralmente o mais forte dentro daquela partida, e isso não vai mudar com o Palmeiras fazendo coitadismo, pelo contrário, só piora, já que provavelmente o clube alviverde ganhou um alvo em suas camisas.


Ao invés de emitir notas e notas de repúdio, que tal abrir mão de seus benefícios, se juntar com outras equipes, criar a tão famosa liga, e por meio disso preparar uma melhor arbitragem para os seus jogos? Me parece uma ideia muito mais democrática e menos vitimista.


Outro falso argumento de torcedores e até de membros da comissão técnica alviverde é de que Abel e seu time são perseguidos pela imprensa. Outra mentira deslavada e pronta para ser escudo dos erros do time em campo.


A forma que a mídia, ou pelo menos boa parte dela, trata o trabalho de Abel é com total e absoluto respeito, mas, como jornalistas e não assessores de imprensa, devemos criticar o que deve e precisa ser criticado também.


É claro que alguns rótulos xenófobos como de "colonizador" são prejudiciais e merecem tal retaliação, mas, críticas feitas ao tom explosivo, a certa arrogância ao responder perguntas e várias vezes usar desculpas em derrotas, fazem com que críticas fortes sejam tecidas.


Nenhum ser humano é incriticável, mas, os Palmeirenses muitas vezes tratam Abel Ferreira como alguém inerrante, atitude compreensível para um bicampeão da Libertadores, mas que é nociva para os jornalistas esportivos do país.


Temos a mania de ver apenas o que acreditamos ser certo, e isso é péssimo, pois críticas pontuais feitas ao excelente treinador repercutem de maneira estrondosa, enquanto os mais que merecidos elogios, são tratados como "nada mais que obrigação."


Ainda assim, quem realmente tem algum problema é Abel com a imprensa, onde além de algumas respostas em tom grosseiro, se mete em polêmicas, como o terrível episódio do jornalista da TV Globo.


Que tal parar de coitadismo e exigir uma coisa que está no alcance do Palmeiras? Por que não pedir que a presidente Leila Pereira contrate algumas peças que possam ajudar o time a não mais depender de desculpas para suas derrotas e sim vencer a grande maioria dos jogos?


Não sou auditor do Palmeiras, nem contador, nem economista, mas, acredito que com o que o Palmeiras arrecadou de premiação nos últimos anos daria para trazer boas peças, no canto do famoso "bom e barato" que o diretor de futebol alviverde tenta emplacar há algum tempo.


Enquanto o maior rival na briga por títulos se reforça com jogadores nível Europa, o Palmeiras segue lento no mercado e com risco de perder peças importantes, onde inclusive, ainda não contratou um substituto para a antiga estrela Danilo, que saiu no início do ano.


O time do Palmeiras é muito bom, e pode ser melhor, mas, caso não venham os nomes ideais, não adianta terceirizar a culpa de derrotas advindas de um planejamento mal feito para outras instituições.


O Palmeiras necessita entender que tudo que ocorre ou ocorreu com ele, ocorre com qualquer outro time, e que os méritos de vitórias, empates, ou derrotas são de sua competência, assim como isso vale para qualquer equipe.


A arbitragem atrapalha, mas não ao ponto de influenciar em um jogo que estava 2x0. A mídia nada mais faz que seu papel, logo ela não joga, não substitui e nem leva cartão, e nada influi no que o time faz fora ou dentro de campo, apenas expressa sua opinião sobre isso.


E que entendendo isso, a instituição Palmeiras no lugar de repetir choramingo histérico, se una a outras equipes e que através desse movimento, chegue a uma real melhora não só da arbitragem, mas do futebol brasileiro como um todo.


17 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page