google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Ninguém segura: Brasil desbanca Sérvia e se mantém invicto.


Seleção brasileira celebra quarta vitória em quatro jogos das Olímpiadas. Foto: Wander Roberto/COB

O duelo mais esperado da fase de grupos aconteceu na madrugada de sexta-feira (30), e encheu o coração brasileiro de orgulho com a vitória do Brasil sobre a Sérvia por 3 a 1 (25/20, 25/16, 23/25 e 25/19), a seleção brasileira feminina é a única do vôlei de Tóquio (incluindo masculino) que ainda não sabe o que é perder.


O técnico brasileiro José Roberto Guimarães era o aniversariante do dia, e recebeu um presente maravilhoso de suas atletas logo no primeiro set.


Set 1: Quando se tem atacantes como a sérvia Tijana Boskovic é muito difícil de garantir que você não vai levar muitos pontos, e com o Brasil não foi diferentes, a monstruosa oposta fez 9 pontos nesse set (mais que o dobro de qualquer jogadora brasileira na etapa).


Infelizmente para as europeias, Boskovic era a única a conseguir pontuar de maneira constante, dessa vez, os méritos do lado verde e amarelo da quadra vão para a Fernanda Garay. Mas ao contrário dos muitos elogios que são feitos para Fe Garay, desta vez a jogadora brilhou na defesa, foram tantas bolas defendidas pela brasileira que a Sérvia se viu forçada a sempre precisar atacar do lado mais distante dela possível. Final de set: 25 a 20 Brasil.


Set 2: Novamente a equipe da Sérvia desviava das defesas de Fernanda e forçavam bolas e mais bolas para Boskovic. A oposta sérvia teve vida mais díficil nesse set, agora o bloqueio do Brasil dobrava em seus ataques, e para a sua infelicidade, era a vez de outra atacante brasileira brilhar de forma defensiva: Gabi Guimarães fez nada mais, nada menos que 5 grandes defesas do lado sul-americano.


Com a arma mais poderosa das sérvias sendo contida pela defesa brasileira, as atacantes comandadas por José Guimarães flutuaram mais pela quadra, tendo oportunidades certeiras para pontuar. Tandara e Garay somaram para 10 pontos no set que acabou 25 a 16 Brasil.


Set 3: Novamente ela, Tijana Boskovic era acionada diversas vezes para pontuar, e dessa vez de forma incontrolável, anotou 10 pontos nesse terceiro set. A atuação da oposta europeia era tão absurda, que chegou nesses numeros mesmo com a líbero brasileira Camila Brait fazendo várias defesas difíceis.


O Brasil jogava muito bem, coletivamente principalmente, mas em set's como esse, o valor individual prevalece. Os pontos conquistados por Boskovic foram decisivos, mesmo com as brasileiras coladas no placar. Final de set: 25 a 23 Sérvia.


Set 4: No intervalo de set, o Brasil voltou mais estruturado, atuações como a da jogadora sérvia raramente ocorrem duas vezes seguidas, e realmente não aconteceu. As brasileiras estavam melhores estruturadas defensivamente e contaram novamente com os ataques potentes de Tandara Caixeta para criar vantagem no set final.


Boskovic mesmo assim ainda foi a maior pontuadora do set (pela quarta vez no jogo) com 7 pontos, insuficiente para carregar a Sérvia para outra vitória. Final de set 25 a 19 Brasil.


A partida mostrou a força das nossas brasileiras, e o elemento que faz essa equipe ser a única equipe de vôlei ainda invicta em Tóquio: a coletividade, no vôlei, quando se tem um grupo equilibrado e eficiente, torna-se uma fonte de resultados satisfatórios.


As atletas do Brasil agora pegam a seleção mais frágil do grupo, o Quênia, que não sabe o que é vencer ainda na competição, marcado para segunda-feira (2) as 9:45h horário de Brasília.



7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page