google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

"Las manos de Díos": Lucarelli, Leal e Allan lideram Brasil em virada histórica contra Argentina.


Brasil passa sufoco para conseguir pontuar contra Argentina em Tóquio. Foto: Júlio César Guimarāe/COB.

A Ariake Arena já esperava um clássico disputado entre Brasil e Argentina na manhã de segunda-feira (26), só não sabia que seria palco de uma virada brasileira por 3 a 2 (19/25, 21/25, 25/16, 25/21 e 16/14) em um vôlei de muita potência e explosão.


Set 1: "O melhor ataque é a defesa", esse foi o lema argentino no primeiro set. Com os jogadores de rede bem mais baixos que os brasileiros, a Argentina optava por evitar os duelos nos bloqueios e se dedicar na defesa.


Estratégia que deu muito certo, seu líbero Danani realizou 6 defesas importantes, que ao se somar com a atuação absurda do levantador De Cecco e a efetividade do ponteiro Bruno Lima, liquidaram o Brasil por 25 a 19.


Set 2: O técnico Brasileiro Renan Dal Zotto mudou sua formação para tentar buscar o empate, Maurício alternava com Lucarelli para tentar melhorar o passe e dar mais condições para Bruninho, que fez uma partida ruim. Douglas entrou no lugar de Leal e conseguiu mostrar algumas brechas na poderosa defesa argentina.


Ainda sem sofrer qualquer punição por parte dos centrais brasileiros, De Cecco e Bruno Lima continuaram a apresentação de gala e fecharam o set em 25 a 21 para a Argentina.


Set 3: Sem resultados até o momento, Renan tenta pela terceira vez modificar a formação brasileira, agora Bruninho saiu para entrada de Fernando Gil Kreking (Cachopa), e dessa vez, a mudança fez muito efeito.


Com o novo levantador, os ataques brasileiros ficaram mais imprevisíveis e variados. Cachopa abusou muito da diferença de rede entre Lucão e Loser e o central do Brasil anotou 4 pontos na etapa muito pela diferença de altura.


Graças a este espaço criado pelo centro de rede, Leal e Wallace tiveram caminhos mais fáceis para cravar a bola no chão argentino, que começava a falhar em seus ataques e rodar seus jogadores. Final de set: 25 a 16 Brasil.


Set 4: Agora sem os erros do set anterior, a Argentina voltou a encaixar o bom estilo de jogo que deu certo no início do confronto. Facundo Conte, Bruno Lima e De Cecco chegaram a deixar a seleção azul e branca 6 pontos a frente do Brasil e com um pé na vitória.


Precisando agressivar, mais uma alteração crucial do treinador brasileiro, sai Wallace para entrada de Allan, garoto que conseguiu virar as bolas e fragilizar o passe dos hermanos.


Para desespero dos adversários, no momento de maior pressão, Lucarelli faz uma sequência de set explêndida (5 pontos, 2 bloqueios, 2 aces) e aquilo que parecia perdido, ficou empatado com o 25 a 21 brasileiro.


Set 5: No tie-break, o repertório argentino estava esgotado, Bruno Lima trocava pontos sozinho no ataque. Já o Brasil explorava os bloqueios com Allan e Leal, que juntos somaram 10 dos 16 pontos da vitoriosa virada verde e amarela (16 a 14).


Com isso, o Brasil vai para o topo do grupo com 2 vitórias (100% de aproveitamento) e enfrentará uma das favoritas ao ouro, a equipe dos atletas russos, quarta-feira (28) às 9:45h (horário de Brasília). E a Argentina amargura sua segunda derrota (0% de aproveitamento) e lutará contra a França pela última vaga do grupo para o mata-mata.

8 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page