google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

First Down: Quem convenceu e quem irritou no 1o dia de Draft?

Atualizado: 26 de abr.

Reprodução: @chicagobears


Na última quinta-feira (25), tivemos a primeira rodada do draft, um momento oportuno para inaugurar minha coluna sobre futebol americano. Após meses fazendo o maravilhoso exercício de ver tape de atletas e ranqueá-los, As equipes fizeram suas escolhas, algumas muito boas e também o Michael Penix Jr na oito.


Começando pela pior delas, o Falcons seleciona o QB de Washington na oitava escolha. Isso por si só já seria motivo de justa causa em Terry Fontenot, GM da Equipe, mas fazer isso após ter dado um contrato de 4 anos por $180,000,000 para o Kirk Cousins só torna essa escolha ainda pior. Fora isso, ao final do contrato de Cousins, Penix terá 28 anos e é muito difícil que ele tenha vindo para fazer sucessão.


Nomes que poderia ter sido escolhidos por Atlanta e que fechariam algum tipo de lacuna: Laiatu Latu, Olu Fashanu, Byron Murphy II, Dallas Turner, Jared Verse, Quinyon Mitchell, Terrion Arnold, Cooper DeJean.


Outra equipe que foi mal nessa primeira rodada foram os Chiefs. Os atuais bicampeões do SuperBowl subiram quatro posições nesse draft para pegar Xavier Worthy, um wide reciver que com certeza estaria disponível na 32a escolha e que sendo bem sincero, é pior que alguns nomes que estavam disponíveis. O Carolina Panthers por exemplo, conseguiu pegar o outro Xavier da classe, que é um atleta com mais facetas e com um melhor report.


Quem saiu feliz com essa movimentação foi o Buffalo Bills, que apesar de não ter selecionado ninguém na primeira rodada, vai abrir a segunda tendo Adonai Mitchell e Troy Franklin como escolhas, saindo na frente do principal rival de conferencia em uma posição que ambas as equipes são carentes e que a equipe novaiorquina pegou um atleta melhor e acumulando escolhas.


Se tratando de esquema, Worthy é um bom encaixe aos Chiefs. Veloz, boa leitura de passe, um bom corredor de rotas em profundidade, é tudo que Mahomes e Reid querem em um WR, uma vez que conseguiram se adaptar bem a passes curtos utilizando screens, Isiah Pacheco e Travis Kelce. Contudo, a parte física e principalmente o problema com drops é o que pode preocupar KC, uma vez que essa foi a grande novela da franquia na temporada passada.


O Patriots para mim faz um movimento que é arriscado. Drake Maye é um excelente prospecto, o segundo na posição de QB, mas joga-lo aos leões, tendo em vista o péssimo corpo ofensivo de New England, da OL aos recebedores e tudo o que foi feito e desfeito com Mac Jones (Mesmo que o teto e o piso de Maye seja bem maior), me preocupa como o jovem atleta vai se portar com quase nenhum auxilio no seu primeiro ano.


Obvio que quando se pensa em futuro, o quarterback é a posição crucial, a classe de 2025 não empolga, mas será que vale a pena ter o alto risco de queimar um garoto tão promissor porque você não aguenta um ou dois anos de baixo empenho ofensivo? Eu particularmente teria ido de Marvin Harrison Jr na terceira escolha.


Assim como o atual campeão e maior algoz dos últimos tempos, o 49ers pegou um wide reciver questionável em uma posição que dava para ter algo melhor. Com os rumores de saída tanto de Deebo Samuel quanto de Brandon Aiyuk, era natural que a franquia quisesse se manter com um nome de segurança, caso o pior aconteça, mas... Ricky Pearsall? Sério?


Não querendo desmerecer o atleta, mas é caso de muitas perguntas a GM e comissão técnica: Por que o backup de dois atletas cruciais no time de Shanahan é um nome que levanta tantas dúvidas? Por que Pearsall na 31 tendo no mínimo três nomes melhores que despencaram na primeira rodada? São perguntas que talvez a temporada dos Niners seja capaz de resolver.


Para fechar a sessão: Quem deu a caneta na mão desse maluco? Vem ai a escolha dos Packers. A OL do Packers deve ser renovada pela questão das lesões e da idade, mas além de você não ter pegado o melhor prospecto disponível na função, você negligencia outra parte importante do time e tendo um jogador excelente nas suas mãos.


Cooper DeJean era a escolha de quase todo mundo. Versátil, competente, chegaria resolvendo uma boa parte dos problemas de secundaria em Green Bay e vai acabar sobrando para algum time esperto na segunda rodada. Jordan Morgan vem para somar, mas nem de longe era a melhor opção.


Falando agora de coisa boa, com exceção dos Packers, a NFC North fez um excelente primeiro dia. Minessota garantiu seu QB e com a flexibilidade de ter na principal posição um calouro, tem mais liberdade para garantir um bom contrato a Justin Jefferson e investir em sua defesa. Falando em defesa, Dallas Turner foi um baita acerto da franquia, conseguindo pegar um jogador muito promissor sem precisar de trade up.


Não era meu EDGE favorito dessa classe, mas reconheço que é um verdadeiro trator em campo. Atuando prioritariamente pelo lado direito da defesa, ele consegue atropelar offensive tackles como se fossem soldadinhos de plástico, mostra habilidade para jogar como interno da linha caso precise e é um excelente apressador de passes. A dificuldade contra jogo corrido pode pesar um pouco, mas é um jogadorzaço chegando para os Vikings.


Os Bears montaram um grande ataque na Free Agency e no draft conseguiu as duas últimas peças que faltavam: Um QB e um WR1. Caleb Williams dispensa comentários, era a pick 1 desde que se tornou elegível e encontra peças boas o suficiente para se desenvolver na NFL. Rome Odunze, recebedor de Washington chega para Chicago para ser o principal alvo, uma vez que Keenan Allen tem histórico de lesão e DJ Moore costuma oscilar durante a temporada.


Rome é um jogador muito atlético, e hábil na mudança e conclusão de rotas além de ter boas fintas para ludibriar o marcador, fora isso, tem um excelente índice de jardas pós recepção, o que é ideal para quando se vai trabalhar com QBs novatos. A franquia de Illinois tem um novo comando de ataque, que com as instruções certas podem fazer o time ter um salto enorme de qualidade dentro de uma divisão que tende subir a competição.


Por último, mas não menos importante, o Detroit Lions fez um movimento tímido, mas muito interessante: Terrion Arnold. Meu CB favorito dessa classe, o jogo de Arnold é impressionante e apaixonante. Um bom jogo de pés, capacidade de jogar no slot, vai bem em zona e em individual, excelente leitura de passe além de conseguir tomar a frente do recebedor com muita tranquilidade e qualidade.


Finalmente os Lions tem mais que "uma estrela solitária" na segunda parte da defesa, uma vez que a secundária na temporada passada foi extremamente dependente de boas partidas de Brian Branch. Mesmo não tendo safetys interessantes nesse draft para fazer uma boa dupla com Branch, Arnold vem para tirar um pouco da responsabilidade do camisa 32, onde agora a franquia leonina tem dois bons patrulheiros de fundo do campo.


Ainda na pauta de jogadores na qual eu gostei muito, Rams acerta em cheio ao draftar Jared Verse. Com a aposentadoria de Aaron Donald, a franquia californiana precisa mudar a capitania de sua defesa e Verse é um bom nome para isso. Em meus mocks e comentários a respeito do draft, acreditava que Jer'Zhan Newton fosse a melhor escolha, Verse sobrou e eles fizeram bem em aproveitar.


Um bom rusher, consegue jogar tanto atacando as laterais do pocket como também explorando os espaços entre guards e tackles. Tem um trabalho de pés que me agrada muito e uma explosão física impressionante. Tenho minhas desconfianças em relação a seu jogo contra corrida, mas na situação que LA se encontra, grande nome. Ninguém será Aaron Donald, mas Verse é o caminho para a necessária e até atrasada reformulação na defesa da franquia.


Cardnials é mais um que foi bem nesse draft. Tendo Marvin Harrison Jr, consegue uma melhoria em relação ao seu WR1 anterior e ainda garante o melhor jogador dessa classe. Junto dele, chega Darius Robinson, um Edge muito competente e que vem para equilibrar essa equipe de Arizona, que precisa de novos ares após um elenco tenebroso em 2023.


Darius Slay não está ficando mais jovem e nem consegue mais segurar a "bucha" sozinho, por isso os Eagles acertam em cheio em fechar com o Quinyon Mitchell. Tendo uma secundária mais equilibrada, os Safetys ainda são um problema, mas definitivamente a franquia da Pensilvânia não irá viver apenas de trincheiras esse ano.


Falando em Pensilvânia, a adição de Troy Fautanu aos Steelers é ideal. Como a franquia do aço tem dois QBs que gostam de se mover e possuem um certo histórico de lesões pelo estilo de jogo e também por falhas de sua OL, melhorar um setor já decadente da equipe se mostra muito inteligente, ainda mais como um senhor prospecto como Fautanu.


O que foi dito aos Steelers vale para o Chargers, só trocando Fautanu por Joe Alt.


E o meu último destaque vai para Brian Thomas Jr indo ao Jaguars. Não é o WR dos sonhos, mas permite com que a franquia da Flórida tenha mais opções na hora de explorar o fundo do campo. Mesmo que a seleção de rotas de Thomas não seja a melhor, se desenvolver ao lado de um pressionado, mas excelente, Trevor Lawrence pode ser benéfico a ambas as partes.


Pode ainda superar o mediano Gabe Davis na briga para ser o segundo alvo.


O segundo dia de escolhas se aproxima e você acompanha tudo nas lives do Dimensão, não perca!


*As opiniões aqui emitidas, são de total responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem a opinião do Dimensão Esportiva.

Comments


bottom of page