google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Fim da Novela: STJD mantém Bragantino no Parazão 2023 e Paragominas rebaixado


Foto: Reprodução/Gamaliel Sousa

Em julgamento realizado na tarde desta quarta-feira (8), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por meio do desembargador Jorge Ivo Amaral, manteve o Bragantino na disputa do Campeonato Paraense de 2023 e o Paragominas permanece rebaixado à Série B do estadual.


Os jogadores Hatos e Guga, alvos da ação do Paragominas, sob a acusação de irregularidades na atuação de ambos no Parazão do ano passado, foram absolvidos do caso, mantendo a estrutura dos 12 times definida no fim do último estadual.


Com a decisão tomada, a Federação Paraense de Futebol (FPF) deverá encaixar os jogos do Bragantino na tabela do campeonato, já que na decisão do último julgamento do dia 31 de Janeiro, que autorizou a realização do Parazão deste ano, todos os jogos do Tubarão estavam suspensos até que o julgamento fosse realizado.

ENTENDA A SITUAÇÃO

Os jogadores Guga e Hatos foram denunciados pelo Paragominas Futebol Clube, afirmando estarem atuando de maneira irregular no Campeonato Paraense 2022. Guga foi expulso no jogo de ida das quartas de final da edição de 2021 do Parazão, ainda atuando pelo Itupiranga. Na ocasião, o jogador cumpriu a suspensão no jogo de volta e, após a eliminação do clube, o meia foi julgado pelo TJD-PA e foi suspenso por dois jogos. Como Guga já havia cumprido um, ele deveria cumprir o outro na próxima competição promovida pela Federação Paraense. O Águia de Marabá contratou o meia e solicitou uma consulta à FPF sobre possíveis irregularidades, sendo respondida apenas com o estadual do ano passado em andamento.


Hatos também foi expulso na mesma partida, também atuando pelo Itupiranga. Diferente de Guga, ele recebeu seis jogos de suspensão. Cumpriu um e deveria cumprir mais cinco. Foi contratado pelo Cametá para a Série B do Paraense de 2021 e jogou normalmente. Entretanto, a punição dele foi descoberta também com o Parazão de 2022 em andamento.


O Itupiranga chegou a ser acusado de não ter informado os atletas sobre o julgamento após o estadual de 2021. Porém, o presidente Izaias Alves enviou um ofício ao TJD-PA se defendendo e alegando que viu respaldo da Federação no caso. Na época, com esse imbróglio, o TJD-PA suspendeu a disputa das quartas de final.


Com o caso dos dois jogadores sendo postergados e sem nenhuma solução, o Paragominas entrou com uma ação no STJD, pedindo a suspensão do Campeonato Paraense de 2023, até que o julgamento fosse realizado, e o pedido foi concedido no dia 20 de Janeiro, dois dias antes do início do campeonato, tendo o julgamento marcado para o dia 31 do mesmo mês.


No dia do julgamento, foi decidido que o estadual de 2023 poderia ser realizado, só que sem a oficialização dos resultados e com os jogos do Bragantino suspensos até o julgamento da ação envolvendo Hatos e Guga ser realizado no dia de hoje. O Águia de Marabá, que também foi denunciado, foi absolvido.


Com informações dos portais Globo Esporte.com Pará e Roma News (com adaptações).



11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page