google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

DG Indica: Concrete Genie é um jogo que mostra como a arte e a criatividade podem renovar e salvar nossas vidas

Atualizado: há 6 dias


Foto: Divulgação/PlayStation


Olá, caros leitores. Meu nome é Gabriel Borges Rossi, sou redator e comentarista do Dimensão Games e Dimensão Esportiva. E hoje, estou "segundando" com mais um DG Indica para todos vocês.


No 'DG Indica' de hoje, eu vou falar sobre um game chamado "Concrete Genie" que nos mostra que para ser um jogo bom, não precisa ser um AAA, blockbuster e muito premiado, mas sim, um jogo criativo e de uma premissa interessante.


E a criatividade é algo que compõe muito bem o andamento da campanha e a concepção desse game, como um todo.


Mas antes de falarmos sobre a história, vamos falar mais sobre a ficha técnica do jogo. Concrete Genie é um jogo desenvolvido pela Pixelopus, publicado pela Sony/PlayStation e lançado em outubro de 2019.


Como citei anteriormente, Concrete Genie não é um blockbuster (apesar de ser um jogo first-party da PlayStation). Então, não vai achando que você vai jogar algo no nível de God of War, Uncharted, The Last of Us e entre outros. Porém, não deixa de ser um jogo muito legal.


A campanha do jogo

O jogo conta a jornada de Ash, um adolescente natural da cidade de Denska, que foi abandonada devido a escuridão que atingiu a cidade. O Ash é constantemente perseguido por outras crianças e adolescentes da sua faixa etária e têm os desenhos que ele faz no seu caderno, como uma válvula de escape para esquecer os seus problemas, que vão além dos valentões que o atormentam.


Após uma das várias brincadeiras de péssimo gosto, o adolescente vai parar no farol da cidade e descobre um pincel mágico, capaz de dar vida a suas criaturas, que antes eram desenhos. Com ele, Ash pode usar a arte para reviver a cidade de Denska com pinturas vivas, salvando-a da escuridão.


Parece uma história fofinha e simples, mas ela é carregada de muitas questões complexas e importantes. No game, os desenhos que o Ash costuma fazer, se parecem com monstros, mas, com rostinhos amigáveis e fofos. Isso, na verdade, pode ser entendido como uma representação dos seus principais problemas pessoais.


E o game mostra que todos nós temos a nossa escuridão, angústias e problemas mal resolvidos e mal compreendidos. Porém, também mostra que enfrentamos essas questões da nossa maneira, variando de cada pessoa.


A gente vê isso, pois os Valentões, mesmo sendo os "malvados" no princípio, têm seus problemas internos. E é aqui que esse jogo aborda temas espinhosos como o bullying, a prática de violências físicas e psicológicas, além de outras questões.


Ash é constantemente perseguido sem motivo algum. Os valentões tacam pedras nele, tomam suas coisas, mexem com seu psicológico, agridem e fazem outras coisas que vão além de simples brincadeiras de crianças.


No decorrer da história, Ash descobre que o motivo dos valentões terem tanta implicância com ele, são em decorrência dos traumas e problemas que eles também passaram. O Ash então, compreende que o motivo de implicarem com ele, não é culpa dele e sim, resultado dos traumas que as crianças passaram.


No geral, o jogo tem uma história muito boa - porém, bem curtinha. A campanha dura em média de 6 horas, mas é suficiente para entendermos e compreendermos a narrativa.


Uso dos periféricos do PS4 e das funções do Dualshock 4

Uma coisa muito interessante desse jogo é que ele faz uso, não só, das funções do Dualshock 4 que são pouco utilizadas, mas também, de periféricos como o PlayStation VR e a câmera do PlayStation. Inclusive, quando nós fazemos os desenhos mágicos nas paredes de Denska, usamos o sensor do Dualshock4 ao invés de usarmos apenas o analógico. Isso deixa a gameplay bem mais divertida e imersiva.


Caso você não queira jogar do modo tradicional, tem o modo de realidade virtual. Assim, você pode fazer uso desse periférico do PS4, que é pouco utilizado pelos jogos do console, e ter uma experiência diferente e mais imersiva.


Conclusão

Infelizmente, a Pixelopus (estúdio de Concrete Genie) foi fechado recentemente. Porém, não deixo de parabenizar o grande trabalho que fizeram no game. Por hoje, é isso. Concrete Genie é um jogo muito divertido que mostra que o fato de algumas produções serem de baixo orçamento, não significa que os jogos vão ser ruins. Muito pelo contrário, mostra que esses jogos podem nos surpreender em todos os quesitos.



*Lembrando que o Concrete Genie pode ser jogado no PlayStation 5, através da retrocompatibilidade com o PlayStation 4.



Nota Pessoal: 8,5/10

Comments


bottom of page