google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Connecticut x Alabama: Tudo o que você precisa saber.

Connecticut x Alabama é o jogo que fecha as semifinais do torneio nacional, e está cercado de expectativas. A partida será neste sábado (6), em Glendale, sede dos jogos do Final Four.


FOTO: Getty Images via AFP/Michael Reaves

A partida entre Connecticut Huskies e Alabama Crimson Tide definirá o segundo finalista do torneio da NCAA. O primeiro finalista vem do jogo entre Purdue Boilermakers e NC State Wolfpack. Ambos os jogos estarão com narração ao vivo nas mídias do Dimensão Esportiva!



Como vêm as equipes?


O time de Connecticut está com uma campanha de 35 vitórias e três derrotas, nesta temporada. Os comandados de Dan Hurley estão entre os melhores times do país, desde o começo da temporada. UConn defende o seu título, pois é o atual campeão do March Madness.


O time de Alabama está com uma campanha de 25 vitórias e 11 derrotas, nesta temporada. Alabama entra como azarão nesse jogo, apesar disso, os comandados de Nate Oats já fazem jogos nesta situação.


Desde o Sweet 16 (que corresponde as oitavas-de-final), quando bateram North Carolina. Mas vale lembrar que o Final Four é inédito para Alabama, que independente do resultado contra UConn, já faz uma temporada histórica para a universidade.



O que esperar desse jogo?


Podemos esperar um jogo com dois ataques muito fortes, que justificam o lugar aonde os times chegaram no torneio nacional. Alabama tem a maior média de pontos por jogo do país, com 90.6 pontos.


Connecticut tem a 22ª maior média de pontos por jogo, com 81.4, mas também tem o quinto melhor aproveitamento de arremessos do país, com 49.8% de aproveitamento, e é o terceiro time com a maior média de assistências por jogo, com 18.7.


No Offensive Rating (que calcula os pontos convertidos a cada 100 posses), o time de Alabama é o terceiro da NCAA, com 123.3. Connecticut é o primeiro na mesma estatística, com 125.2.


Enquanto no Defensive Rating (que calcula os pontos cedidos a cada 100 posses), há uma discrepância entre os times. UConn é o 10° do país, com 97.3, e Bama é o 303°, com 110.4.


O Net Rating (diferencial entre pontos cedidos e convertidos a cada 100 posses) dos times é saudável. Alabama tem 12.9 de Net Rating, enquanto Connecticut tem 27.9 na mesma estatística.


Os times tem dois ataques muito fortes, enquanto Alabama tem uma defesa mais fragilizada, sendo essa uma chave importante para UConn explorar. A chave para Alabama é conseguir fazer seu jogo rápido encaixar, o que pode ser difícil contra uma defesa bem encaixada.



Destaques para o jogo:


Connecticut


  • Tristen Newton tem médias de 15 pontos, 6.7 rebotes e 6.1 assistências por jogo, nessa temporada. Newton teve um jogo apagado contra Illinois, mas ele teve dois duplos-duplos, nas três primeiras rodadas do March Madness, sendo um jogador combativo, e com inteligência para passar a bola;

  • Donovan Clingan tem 12.9 pontos, 7.5 rebotes, 2.4 tocos, e 64.3% de aproveitamento nos arremessos, em 22.1 minutos por jogo. Clingan assumiu titularidade absoluta no March Madness, e já tem três duplo-duplos só no March Madness, sendo força latente no garrafão;

  • Cam Spencer tem médias de 14.4 pontos, 4.7 rebotes, 3.7 assistências, e 1.4 roubos por jogo. Spencer é o principal chutador dos três pontos que UConn tem. Um jogo inspirado dele, pode derrubar qualquer adversário.


Alabama


  • Mark Sears tem médias de 24.3 pontos, 5.3 rebotes e 1.8 roubos, além de 50.8% nos arremessos e 44.7% nos três pontos, apenas no March Madness. Sears teve apenas um jogo no torneio, que não fez 20 pontos ou mais, sendo a força principal de Bama no ataque;

  • Aaron Estrada tem médias de 13.3 pontos, 5.5 rebotes, 4.6 assistências e 1.6 roubos por jogo, nessa temporada. Estrada é um jogador de velocidade, que também tem mãos ativas para gerar perdas de posse ao adversário;

  • Grant Nelson tem médias 11.7 pontos, 5.6 rebotes e 1.7 tocos por jogo. Nelson é um jogador de muita verticalidade, o que propicia rebotes ganhos e contestação de arremesso, justificando a boa média de tocos do jogador. Foi fundamental no jogo do Sweet 16, quando Bama venceu North Carolina, registrando 24 pontos, 12 rebotes e cinco tocos no jogo.



Lesionados para o jogo (até o momento da publicação):


Connecticut

  • Não há lesões no elenco.


Alabama

  • Davin Cosby (lesão no pé- Fora da temporada)



Transmissão:


O jogo vai ter transmissão nas mídias do Dimensão Esportiva, à partir das 21h20 (Horário de Brasília). O Final Four acontece em Glendale, Arizona. Deixe seu like, comente e interaja com a nossa equipe, e claro, compartilhe e se inscreva pra ficar sempre ligado.



Narração: Alex Yamasaki.

Comentários: Ewerton Moreira, Giga e Thiago Ramos.


Outros Meios:


TV: ESPN.

Streaming: Star+.



Comments


bottom of page