google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Brasil é avassalador e garante vaga direta nas semifinais do Pan-Americano de Vôlei Feminino

Com campanha perfeita, seleção enfrenta a Argentina em busca de garantir mais uma medalha para a delegação brasileira em Santiago


Seleção feminina vai em busca do ouro que não vem há 12 anos | Foto: Felipe PoGa/Photosport

A seleção feminina de vôlei está classificada para as semifinais dos Jogos Pan-Americanos de Santiago. Após a vitória diante de Porto Rico por 3 sets a 0, com parciais de 25/15, 25/22 e 25/21, o Brasil garantiu a liderança do grupo com nove pontos e enfrenta a Argentina em busca de uma vaga na decisão.


Buscando uma medalha de ouro que não vem desde o Pan de Guadalajara, em 2011, o Brasil vem com uma equipe alternativa, montada com atletas da Superliga e das seleções de base. Comandada pelo auxiliar Paulo Coco, já que o treinador José Roberto Guimarães está em início de temporada no voleibol turco, a seleção não deu brechas para as adversárias e venceu todas as suas partidas por 3 a 0.


Rodando bastante seu elenco, a equipe de Paulo Coco foi superior e, contando com grandes atuações da levantadora Naiane e da oposta Sabrina Machado, o Brasil manteve consistência em todos os fundamentos. Por conta disso, a equipe só sofreu mais de 20 pontos em apenas dois de nove sets disputados: nas últimas parciais contra as porto-riquenhas, que acabaram na terceira posição do grupo com três pontos conquistados.


A formação titular do Brasil nas partidas contou com a capitã Naiane, Sabrina, Maiara Basso e Aline como ponteiras, Lorena e Larissa como centrais, além da líbero Laís. No banco, a seleção conta com a oposta Tainara, a levantadora Carol Leite, a central Luzia e as ponteiras Helena e Talia.


As equipes classificadas para as semifinais foram o Brasil, líder do grupo A, e a também favorita República Dominicana garantiu a liderança do grupo B também com campanha perfeita. Além das duas, Porto Rico, Argentina, México e Chile asseguraram uma vaga nas quartas de final, enquanto Colômbia e Cuba estão na fase de playoffs.


Nas quartas, México e Porto Rico se enfrentaram, e as mexicanas venceram por 3 a 0. Na outra chave, a Argentina enfrentou as donas da casa, o Chile, e venceu no tie-break após abrir 2 a 0 no placar. Com isso, teremos Brasil x México e República Dominicana x Argentina nas semifinais.


República Dominicana: a grande concorrente


Dominicanas são as atuais campeãs do Pan após vencerem a Colômbia na decisão de Lima-2019 | Foto: Felipe PoGa/Photosport

A outra equipe favorita à medalha de ouro é a República Dominicana. Comandada pelo treinador brasileiro Marcos Kwiek desde 2008, a equipe caribenha veio com suas principais jogadoras e, assim como o Brasil, venceu todas as suas partidas por 3 a 0 neste Pan-Americano.


Dentro de quadra, os destaques ficam para as irmãs Martínez, Brayelin e Jineiry, que foram campeãs da Superliga na última temporada com o Praia Clube. Yonkaira Peña, atleta do Minas, foi derrotada na final pelas compatriotas, mas também teve um campeonato de destaque.


Além delas, a líbero Brenda Castillo, uma das melhores jogadoras do mundo, e a experiente oposta Bethania de la Cruz também compõem uma equipe estrelada e que fez história nessa temporada de seleções. Mesmo com o 11º lugar na Liga das Nações (VNL), a República Dominicana foi campeã da Copa NORCECA sobre a forte seleção dos Estados Unidos, além de garantir uma vaga na Olimpíada de Paris-2024 na liderança de seu grupo, deixando as favoritas Sérvia e China para trás.


Porém, a equipe caribenha já atuou em incríveis 46 partidas dentro de sete campeonatos diferentes desde maio, a maioria com suas atletas titulares. Com uma média de um jogo a cada três dias, 14 dessas partidas foram para o tie-break, indicando que a seleção está com um grande desgaste físico.


Outro detalhe interessante é que, desde 2017, as equipes se enfrentaram 12 vezes, com 10 vitórias brasileiras e apenas duas dominicanas. Os dois primeiros confrontos trazem boas memórias para a levantadora Naiane, capitã do Brasil no Pan de Santiago. Eles foram disputados em Belém, cidade-natal da atleta de 28 anos.


Com muito apoio da torcida, a seleção venceu por 3 a 1. Em entrevista antes da partida para o site oficial da Confederação Brasileira de Vôlei, a CBV, Naiane comentou que seria uma grande emoção jogar na cidade onde nasceu, e agradeceu o carinho da torcida local.


Naiane, então com 23 anos, foi a queridinha da torcida em Belém nos amistosos de 2017 | Foto: Oswaldo Forte/MPIX/CBV

Próximos jogos do Pan-Americano


25 de outubro


10h30 - Colômbia x Porto Rico (playoffs)

13h30 - Cuba x Chile (playoffs)


17h30 - República Dominicana x Argentina (semifinais)

20h30 - Brasil x México (semifinais)


26 de outubro


10h - Disputa de sétimo lugar

13h - Disputa de quinto lugar

17h - Disputa do bronze

20h - Disputa do ouro


8 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page