google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Boston Celtics surpreende com varrida, enquanto Brooklyn Nets decepciona.


Ganhando de 4 a 0, os Celtics fazem uma inesperada varrida sobre os Nets, de Durant e Irving.


O Boston Celtics ganhou todos os jogos contra o Brooklyn Nets, na primeira rodada dos playoffs. O favoritismo do time de Kevin Durant e Kyrie Irving não conseguiu superar a equipe celta, com a melhor defesa da liga e Jayson Tatum e Jaylen Brown no ataque.


Apesar de invicta na série, os resultados finais não foram tão superiores ao seu rival, com uma média de 4.5 acima dos Nets. Lembrando que no jogo 1, em que Tatum resolve no último segundo com uma espetacular virada sobre Irving, dando a cesta de vitória.


A atuação dos Boston Celtics foi inesperada nessa temporada, principalmente olhando para seu início. Com a chegada de Ime Udoka ao cargo de treinador, que não contava com tanta experiência, não conseguiu encaixar o time logo de cara. A química entre as duas estrelas, Brown e Tatum, foi posta em questão, visto que um só conseguia obter um bom rendimento com a ausência do outro em quadra, levando até a consideração de troca de um dos jogadores.


Enterrada de Jaylen Brown contra os Nets, nos playoffs
(Jaylen Brown enterrando contra os Nets; Reprodução: Instagram/@celtics)

Demorou um tempo até que o time se encontrasse, engatando em uma sequência de 9 vitórias um pouco antes da chegada do All-Star break, encerrando a temporada regular em segundo lugar na conferência leste. O segredo desse sucesso foi a defesa. Udoka começou a explorar mais o seu arsenal de jogadores e entender a dinâmica do coletivo, se tornando a melhor defesa da NBA.


O armador, Marcus Smart recebeu um papel maior em quadra, conhecido por sua capacidade de marcar todas as cinco posições com seus 1,91 m, ganhando merecidamente o prêmio de Melhor Defensor do Ano (DPOY), e o novato Robert Williams III, que mostrou uma inesperada evolução, colecionando vários tocos e fazendo a proteção do aro. Além disso, também vale mencionar a chegada de Derrick White e Daniel Theis próximo a trade deadline, que contribuíram bastante nesse aspecto tático.


(Kyrie Irving contra o Boston Celtics; Reprodução: Instagram/@brooklynnets))
(Kyrie Irving contra o Boston Celtics; Reprodução: Instagram/@brooklynnets))

Já os Nets, que passaram boa parte da temporada sendo considerados como os favoritos ao título passaram por maus bocados, do começo ao fim. Antes de realmente começar a temporada, a franquia teve que enfrentar um grande dilema com a chegada de novos protocolos da liga em relação à Covid-19. O armador, Kyrie Irving se recusou a tomar a vacina contra o vírus, levando a consequências graves para equipe, pois em alguns estados, como a própria Nova York, pessoas não-vacinadas estariam proibidas de entrar em estabelecimentos fechados.


O astro se manteve fiel a sua postura polêmica, considerou até mesmo a aposentadoria se o time não o deixasse jogar, e com essas incertezas ele demorou alguns meses para estrear na temporada, mesmo que no inicio jogasse apenas partidas fora de casa, por conta da restrição em NY. Somente em março, quando o prefeito liberou a medida, ele pode enfim retornar ao Barclays Center.


Essa questão em torno do Kyrie influenciou bastante nos seus companheiros, que não ficaram satisfeitos e viram nessa ação um comportamento bastante “egoísta”, enquanto eles sofriam com algumas derrotas em quadra. O principal deles foi James Harden, que na chegou à temporada anterior com o intuito de formar um “big-3” ao lado de Durant e Irving para conquistar um título. Não vendo muito futuro nos Nets, causou a mesma polêmica quando pediu para sair do Houston Rockets, e foi trocado ao Philadelphia 76ers, de Joel Embiid.


Em troca, Brooklyn recebeu Seth Curry, Andre Drummond e Ben Simmons, um jogador que deu “dor de cabeça” para o Filadélfia. Nessa movimentação, surgiu uma esperança que o elenco pudesse adquirir ainda mais profundidade, principalmente na defesa e no garrafão, as suas principais carências táticas. No entanto, isso não acabou ajudando tanto, pois teve ainda participar do torneio de play-in e jogar contra o segundo colocado, no caso o Boston.


De qualquer forma, ainda havia certo favoritismo nos nova-iorquinos, visto que contava com a dupla de super-estrelas KD e Irving, e a esperança de Ben Simmons voltar e impulsionar a defesa. No entanto, essas expectativas não foram o suficiente, os all-stars não conseguiram segurar a onda das estrelas em ascendente, o ataque perigoso não resistiu à defesa alinhada dos Celtics, e Simmons decidiu não retornar para nenhum jogo. Mostrando que favoritismo não ganha jogo, e sim o empenho em quadra.


(Texto escrito por: Ian Casalecchi)

Comentarios


bottom of page