google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Balanço da rodada – Grande prêmio da Itália

Atualizado: 6 de set. de 2020


Circuito de monza é o que mais realizou corridas da F1 na história. Imagem: Google Maps


Se eu te falasse na semana passada que o francês Pierre Gasly – da Alpha Tauri - ganharia a corrida de Monza, você acreditaria? Pois é, eu também não. Essa é mais uma grata surpresa da “Silly Season” (Temporada maluca, como os meios de comunicação se referem ao ano de 2020), que trouxe também o 2º lugar de Carlos Sainz e com Lance Stroll completando o pódio. Quer entender mais? Vem que eu te explico.



Hamilton foi seguido de perto pelos pilotos da McLaren. Imagem: divulgação/Instagram


A corrida começou com o domínio tradicional de Lewis Hamilton e sua mercedes, seguido por Bottas, seu fiel escudeiro. Mas em uma fração de segundos, Bottas viu Sainz passá-lo sem nem fazer força, logo na largada, e abrindo espaço ainda para que Lando Norris viesse logo atrás. O pelotão estava meio bagunçado desde as classificações, e convenhamos: ter ambas as Ferrari’s largando no último pelotão – em 13º (Lec) e 17º (Vet) – causa um pouco de estranheza, não é mesmo?


E em uma corrida que depende quase que única e exclusivamente do desempenho dos motores nas retas, todas as equipes que competem com motor da escuderia italiana sofreram. Ainda falando de Ferrari, Vettel abandonou na 6ª volta, após um problema nos freios.


Sebastian Vettel foi obrigado a abandonar a corrida devido ao problema dos freios de seu carro. Imagem: divulgação/Instagram


Mas o pior ainda estava por vir. Magnussen, da Haas, abandonou a prova, o que ocasionou a entrada do safety car na pista. Até aí, “normal” (ainda mais considerando quem o causou...). O problema começou mesmo quando Hamilton e Giovinazzi entraram nos Boxes sem a permissão da direção de prova, o que gerou para ambos uma penalidade grave, um “Stop-n-Go” de 10s durante a prova. Na relargada, o grid estava todo embolado, e Charles Leclerc conseguia manter um bom 5º lugar.


E foi nessa volta que tudo aconteceu: Charles perdeu a traseira na “Parabolica”, uma das curvas mais rápidas de Monza, e deu uma pancada FORTE no muro de proteção. Ele se levantou e saiu do carro sem nenhum ferimento, mas a partir daí, a história da corrida muda da água para o vinho. A direção de prova decretou bandeira vermelha, onde todos os pilotos são obrigados entrar para os Boxes até que a pista seja limpa novamente. Após 35 minutos de paralização, a corrida foi retomada com largada parada.


Batida de Leclerc deixou todos apreensivos. Por sorte, ele saiu sem ferimentos. Imagens: FIA/ FOM/ Liberty Media


E para nossa surpresa, quem disparou na frente foi o jovem francês da Alpha Tauri, seguido por Sainz (McLaren) e Kimi Raikonnen (Alfa Romeo) – por essa nem o destino esperava. Hamilton, cumprindo sua punição de 10s, retornou dos boxes em último lugar, mas batalhou e conseguiu terminar a prova como sétimo colocado, em um desempenho brilhante – como sempre.


Gasly, Sainz e Raikonnen uma boa relargada. Imagens: divulgação/Instagram


E que a verdade seja dita: o que a McLaren tem corrido é impressionante. Não só pelo pódio mais que merecido de Sainz, mas também pelo desempenho espetacular de Lando Norris, seu companheiro de equipe. Ele é facilmente classificado como “futuro ícone do esporte”, devido ao seu estilo de pilotagem e seus bons resultados logo em seus primeiros anos na categoria. E só para não dizerem que eu não falo da Racing Point, o jovem Lance Stroll guiou muito durante todo o final de semana, e fez por merecer sua colocação. Aparentemente ele não é só o “Filho do dono da equipe”: Stroll tem dado show com a ‘Pink Mercedes’.




Norris, Stroll, Sainz e Gasly: destaques absolutos da corrida. Imagens: divulgação/Instagram


Ainda no assunto da McLaren, Sainz vem correndo muito, e se diz ansioso para correr pela Ferrari no ano que vem. O espanhol assinou com a equipe de Maranello e substituirá Vettel, que ainda não tem equipe definida. Além desta substituição, no ano que vem teremos Ricciardo na Mclaren, e Alonso na Renault (que será rebatizada de Alpine Racing.).


E é dessa forma que terminamos mais um final de semana de corrida: com resultados totalmente atípicos para quem acompanha a F1. Pódios inesperados, batidas e abandonos múltiplos, várias penalizações, e o mais importante: um final de semana para entrar na história (para o bem ou para o mal, não é mesmo, Ferrari?!). A classificação do campeonato segue sem grandes alterações, com Hamilton em primeiro, Bottas em segundo e Verstappen (que abandonou a prova de hoje), em terceiro. (confira a classificação completa na imagem no fim do texto).



Pódio com formação diferenciada é uma das gratas surpresas da "Temporada maluca" de 2020. Imagem: divulgação/Instagram


Para o próximo final de semana, esperamos uma corrida tão legal quanto a de hoje foi, apesar de saber que teremos um tom melancólico para a Ferrari, que disputará seu Milésimo Grande Prêmio em casa, mas sem chance alguma de um desempenho satisfatório para seus torcedores. O GP da toscana, será realizado em Mugello, e a transmissão será feita pela rede Globo, a partir das 10hrs do próximo domingo. Nos vemos lá, até a próxima!


A classificação dos pilotos ficou assim após o GP da Itália. Imagem: divulgação/Instagram

25 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page