google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-5142149462024594, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

ANÁLISE: Por que os Jogos Pan-americanos se desvalorizaram na TV brasileira?

Atualizado: 1 de set. de 2023


Foto de fundo: Estádio nacional de Santiago, uma das sedes do evento.
Foto: Divulgação/Panam Sports/COI.

Após as duas últimas edições (Toronto 2015 e Lima 2019) terem sido exibidas na TV Aberta via RecordTV e na fechada via SporTV, a edição de 2023 dos Jogos Pan-americanos, que ocorrerá em Santiago, no Chile, em outubro não terá transmissão em meios lineares no Brasil, no momento, ficando exclusivo via streaming através de uma parceria do Canal Olímpico do Brasil com a empresa LiveMode, responsável pelo gerenciamento do canal do Youtube e da Twitch “Cazé TV”, do influenciador digital Casimiro Miguel. O Grupo Globo chegou a entrar em contato com a Panam Sports para negociar os direitos de transmissão, mas não concordando com os valores cobrados, não foi fechado um acordo. Mas antes da situação chegar a esse ponto, muitas situações aconteceram para gerar essa “bola de neve” que tirou o pan da televisão brasileira.



Os Jogos Pan-americanos antes da exclusividade da Record


A edição mais antiga do Pan que se tem registro na TV Aberta foi os jogos de 1975, na Cidade do México, transmitidos pela TV Globo. Já na edição de 1979 em Porto Rico, a emissora carioca transmitiu boletins diários sobre o evento em sua programação. Em 1983, na cidade venezuelana de Caracas, a Globo novamente transmitiu os jogos até que na edição de 1987 na cidade estadunidense de Indianápolis, a emissora perdeu a exclusividade, não transmitiu o evento, que a partir daí ficou nas mãos da “Rede do Pan”, uma rede formada pela TV Gazeta, TV Corcovado, TV Guaíba, retransmissoras da Record, Manchete e emissoras independentes de outros lugares do país, com parte da equipe esportiva da Band.


A partir de Havana (Cuba) 1991, a Band transmitiu o evento com exclusividade, com a globo fazendo cobertura jornalística em seus telejornais, na edição de Mar Del Plata (Argentina) 1995, a emissora do Morumbi esteve junto com a CNT/Gazeta e nos jogos de Winnipeg (Canadá) 1999, transmitiu com a TV Globo, que estava fazendo boletins do evento na grade, além do grupo ter transmitido o evento pela primeira vez na TV por assinatura, via SporTV.


Na edição de Santo Domingo, na República Dominicana em 2003 foi o mesmo esquema da edição anterior: Band transmitindo o evento, Globo com boletins e SporTV na TV Fechada, mas a mudança de chave ocorre na edição seguinte, em 2007: com a edição ocorrendo agora no Rio de Janeiro, várias emissoras demonstraram interesse no evento, com Globo, Band e Record (lembrem da Record, ela será importante na história) na TV Aberta, com SporTV, ESPN e BandSports na TV por assinatura.



A fase Record


Na fase do “a caminho da liderança”, e querendo derrubar a Globo de qualquer jeito, a Record investiu pesado nos esportes, oferecendo uma quantia financeira alta (esse detalhe também será importante, lembrem-se dele) para pegar os direitos desses eventos. Nessa fase, a Record ofereceu uma proposta maior para conseguir a Copa do Mundo de 2010, sediada na África do Sul, mas a FIFA preferiu ficar com a emissora carioca. Mas a emissora paulista conseguiu vitórias, como a exclusividade dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e dos Jogos Pan-americanos, que valeriam da edição de Guadalajara (México), em 2011 até essa próxima edição. Já na TV por assinatura, o SporTV transmitiu nesse período (exceto 2011) e na internet, o portal Terra transmitiu a edição de 2011, com o R7 em 2015 e em 2019, junto com o PlayPlus, serviço de streaming da Record.



A pandemia e o fim da fase Record


Com o aumento do Dólar gerado pela pandemia de Covid-19, a Record rescindiu de forma unilateral o contrato que tinha com a Panam Sports que valia para a edição deste ano dos jogos. Assim, os jogos ficaram sem direitos de transmissão até o acordo citado no inicio desse artigo entre o COB e a CazéTV, mas sem TV linear, pois a Globo não concordou com o valor cobrado pela Panam Sports, que como parâmetro tinha justamente o valor que a Record cobrava anteriormente, o grupo carioca viu que é um valor muito alto para os padrões do evento.



Foi só a Record que gerou esse desinteresse no Pan?


Além do valor hiperinflacionado que ninguém quer pagar por causa do contrato anterior da Record, um outro fator é que o público após do Pan de 2007 (justamente o do Rio de Janeiro) se desinteressou pelo evento, possivelmente tendo uma impressão que aquela edição fosse um “evento-teste” para a cidade receber a olimpíada, o que realmente aconteceu dois anos depois, com o Rio sendo escolhido como cidade-sede dos jogos de nove anos depois, em 2016. Uma outra questão que se fala bastante, é a questão das delegações nas últimas edições não estarem indo com os seus melhores atletas no evento, o que causa queda na qualidade no evento, que além de ser um evento pré-olimpíada, alguns esportes dão vagas para os jogos olímpicos justamente pelo pan.



Santiago 2023 tem esperanças na TV brasileira?


Além da Globo, segundo o jornalista Gabriel Vaquer, a Band até demonstra interesse, mas devido aos valores elevados do contrato da Record, a emissora acaba se afastando de negociar. Entretanto, o comitê organizador do Pan ainda tem esperanças de vender o evento para o Brasil e colocou um representante internacional para vender o evento para o país.



*Um agradecimento ao Regys Silva, do Surto Olímpico por me ajudar na pesquisa para a construção desse artigo.*




108 visualizações1 comentário

1 Comment


Thiago Rocha
Thiago Rocha
Sep 12, 2023

A Globo também transmitiu o Pan de Havana em 1991, há registro da transmissão dela da final do basquete feminino com narração de Luiz Alfredo e comentários de Ciro José;

Like
bottom of page